Sul-americanos novamente são destaque nos Playoffs da MLS

Por EFE.

A MLS, principal liga de futebol dos Estados Unidos, notabilizou-se por contratar badalados veteranos da Europa, como, recentemente, o sueco Zlatan Ibrahimovic e o inglês Wayne Rooney. Porém, como também aconteceu nas últimas temporadas, a maioria dos clubes que chegou à reta final apostou em sul-americanos menos conhecidos.

LEIA TAMBÉM: Flamengo será a maior atração da Florida Cup 2019

LEIA TAMBÉM: Juiz brasileiro “troca de lado” e faz estreia como técnico nos EUA

LEIA TAMBÉM: Libertadores pode ter times de México e EUA a partir de 2020

Sul-americanos em ascensão aumenta a tendência de assinaturas de alvos da MLS em direção às estrelas. (Imagem-Reproduçãp)

Todos os oito times que se classificaram às semifinais das Conferências Leste e Oeste contam com pelo menos um jogador da América do Sul. Na lista, que conta com quase 40 nomes, só um é brasileiro: o volante Artur, que passou pelas divisões de base de Bahia e São Paulo.

O jogador desembarcou nos EUA no começo de 2017, emprestado pelo Tricolor paulista ao Columbus Crew, que acabou chegando à final do Leste. O bom desempenho convenceu os dirigentes do clube a contratarem o baiano, de 21 anos, em definitivo. Nesta temporada, Artur fez 32 jogos pela equipe.

A equipe do volante brasileiro se classificou como quinta colocada na conferência, o que a obrigou a fazer um duelo em jogo único com o DC United, de Rooney, pelo chamado ‘wild card’ nas semifinais. A partida terminou empatada em 2 a 2. Nos pênaltis, o Crew levou a melhor por 3 a 2.

O grande herói do time de Ohio foi outro sul-americano, o meia-atacante argentino Federico Higuaín, irmão mais velho de Gonzalo Higuaín, centroavante da Juventus. O veterano, de 34 anos, marcou os dois gols no tempo normal e abriu a série de penalidades da equipe, que enfrentará o New York Red Bulls.

Curiosamente, os comandados pelo americano Chris Armas, cuja estrela é o atacante inglês Bradley Wright-Phillips, contam com o menor número de jogadores nascidos na América do Sul, dois. Um deles, no entanto, é um dos pontos de equilíbrio do time, o meia paraguaio Alejandro Gamarra, um dos líderes em assistência da temporada regular, com 14.

A outra semifinal do Leste colocará frente a frente dois times que apostam pesado em jogadores da região, o Atlanta United, que tem nove inscritos é é treinado pelo argentino Gerardo Martino, ex-comandante da seleção do país de origem e do Barcelona, e o New York City, que tem seis.

O recordista de sul-americanos nesta etapa da competição é também o dono do ataque mais letal da MLS, com 70 gols marcados. Do total, 31 foram anotados pelo atacante venezuelano Josef Martínez, que lidera a tabela de artilharia. No quesito assistências, quem mais brilha é o meia paraguaio Miguel Almirón, com 14.

Já o time de Nova York, que tem mesmos donos que o Manchester City, tem o atacante espanhol David Villa como destaque, e o meia argentino Maxi Moralez como principal coadjuvante. No elenco, ainda está o meia Yangel Herrera, capitão da seleção da Venezuela na conquista do vice-campeão mundial sub-20, no ano passado.

No Oeste, o Portland Timbers é o clube com mais sul-americanos, totalizando nove, entre eles, o meia argentino Diego Valeri, que foi eleito o MVP da última temporada e marcou duas vezes na vitória sobre o Dallas FC por 2 a 1. O time, que é treinado pelo venezuelano Giovanni Savarese, ainda tem dois compatriotas de destaque do camisa 11, o também meia Sebastián Blanco e o atacante Lucas Melano.

O Seattle Sounders, adversário da equipe do Oregon, é mais uma que só conta com dois jogadores da região. No entanto, um deles é o meia Nicolás Lodeiro, ex-Botafogo e Corinthians, que continua a ser frequentemente convocado pela seleção do Uruguai. Destaque da equipe desde 2016, o jogador da Celeste ganhou a companhia neste ano do atacante peruano Raúl Ruidíaz, que já passou pelo Coritiba.

Primeiro colocado na conferência, o Sporting Kansas City tem como principal destaque o meia chileno Felipe Gutiérrez, que é o dono do setor criativo do time do técnico Peter Vermes, que está no clube há nove anos. Compatriota do camisa 21, o atacante Diego Rubio é outro destaque do representante do Missouri.

O Real Salt Lake, que teve a pior campanha entre os 12 que avançaram na temporada regular e que terá a missão de encarar o líder do Oeste, tem três sul-americanos, entre eles o atacante venezuelano Jefferson Savarino. Outro titular importante é o meia uruguaio Marcelo Silva.

VIDA EUA: Você sabe o que é uma Soccer Mom?

VIDA EUA: As maiores diferenças do futebol infantil nos Estados Unidos e no Brasil


os mais lidos27 times!

COMPARTILHAR