O que fazer para ajudar seu filho a viver melhor nos EUA

Por RALF FURTADO / AWEBIC

Que o Brasil é um país extremamente paternalista, todos sabem. Pais e filhos tem uma relação muito próxima, muito contato físico e um forte laço familiar. Fazendo que muitos filhos morem com os pais até bem depois dos 30 anos.

Essa proximidade e a facilidade das famílias brasileiras de ter acesso a uma empregada doméstica, acabam formando crianças e adolescentes sem o hábito de participar das tarefas domésticas.

LEIA TAMBÉM: A importância de continuar falando Português nos Estados Unidos

LEIA TAMBÉM: Como escolher uma escola nos Estados Unidos

LEIA TAMBÉM: 3 coisas que se aprende em 5 anos nos Estados Unidos

Mas se uma dessas famílias decide mudar para os Estados Unidos ou para a Europa, esses hábitos têm de ser readaptados para a cultura local.

Temos algumas dicas que podem ser preciosas na sobrevivência de um brasileirinho em terras estrangeiras:

1. Acordá-los de manhã

A responsabilidade com os horários deve ser criada desde bem cedo. (Foto-ONG)

Se você ainda está acordando seus filhos de manhã, chegou a hora de deixar o despertador fazer seu trabalho.

O ideal é que eles levantem da cama sozinhos de manhã já a partir do Ensino Médio. É claro que provavelmente haverá dias em que eles acordarão correndo com apenas alguns minutos faltando para sair. O botão de soneca não parecerá mais tão bom, quando fizer eles perderem a hora de tomar o café da manhã.

Existem mães que dizem que os filhos são tão fofos que elas amam acordá-los todas as manhãs. Se você é uma dessas, por favor, pare já com isso.

Todos nós achamos nossos filhos tão fofos quanto você acha os seus, mas nosso objetivo é criar adultos funcionais.

2. Fazer o café da manhã e preparar o lanche da escola

Não é difícil transformar o ato de preparar o próprio café-da-manhã em uma experiência divertida. (Foto-PNG)

Meu alarme matinal é o som dos meus filhos colocando cereal na tigela.

Meu trabalho é garantir que eles tenham comida em casa para que eles tomem café da manhã e preparem sozinhos o lanche da escola.

Algumas pessoas perguntam: “Mas como você saber o que eles estão levando de lanche para a escola?” Não sabemos. Sabemos da comida que temos na despensa e cabe a eles prepararem o que eles acharem que seja um bom lanche.

Isso vai durar apenas alguns anos e não teremos a menor ideia do que eles irão comer em nenhuma das refeições quando estiverem na faculdade.

Livre-se agora dos super elaborados lanchinhos.

3. Preencher a papelada deles

Devemos deixar nossos filhos aptos a preencherem todos e quaisquer documentos que lhes forem entregues. (Foto-PNG)

Se você tem muitos filhos, significa que terá muita papelada no início do ano escolar. Os pais normalmente temem essa pilha de papel, até as crianças terem idade suficiente para preenchê-los sozinhos.

Temos que deixar que nossas crianças preencham a própria papelada, da melhor forma possível. Depois de preencher, eles devem colocar os papéis a serem apenas assinados por nós, no balcão da cozinha ou em um outro local pré-determinado.

Mantenha seus filhos responsáveis. Em breve eles precisarão preencher formulários na faculdade e no trabalho e precisarão saber como fazer isso sem sua intervenção.

4. Buscar as coisas que eles esquecem

Não importa o que ele tenha esquecido, não volte para pegar. (Foto-
Moretoki/YouTube)

Logo após sair de casa, a filha percebeu que esqueceu o telefone, o outro berra que esqueceu o uniforme de Educação Física recém-lavado.

Siga em frente, pais não podem perder a oportunidade de mostrar as consequências naturais dos atos de seus filhos. Esqueceu algo? Assuma as consequências. E crie também a regra que garante que pai e mãe não recebem mensagens implorando por coisas esquecidas.

5. Fazer da falta de planejamento deles a sua emergência

Os trabalhos escolares não devem enlouquecer toda a família. (Foto-ONG)

Projetos escolares não são dados um dia antes da data de entrega. Portanto, não saia correndo de última hora para comprar o material, para que seu filho possa terminar um trabalho da escola.

Tenha cartolinas e materiais em geral sempre em casa para evitar aqueles pedidos desesperados. E para outros itens necessários, diga que ele vai ter que esperar. Não saia correndo até a loja para o seu filho, por que e não se preparou para o trabalho.

Deixe claro que você está disponível para comprar os materiais necessários, quando já tiver uma saída programada para fazer outras coisas. Sair apenas para isso, no way..

6. Lavar a roupa e a louça deles

Na América as tarefas domésticas são divididas entre família. (Foto-ONG)

As roupas e a louça que eles sujarem, é deles a responsabilidade colocar o que lhes pertence nas devidas máquinas de lavar roupa e louça.

De vez em quando uma criança precisa de um lembrete saudável de que não trabalhamos para elas.

No minuto que elas acharem que este é o nosso papel na vida, é o minuto de parar e recomeçar do zero.

Eles têm que aprender desde cedo como operar esses appliances, dobrar e guardar a roupa e a louça. Afinal, quem opera com tanta praticidade celulares e vídeo games, não vai ter problema com um simples eletrodoméstico.

7. Mandar e-mail e ligar para seus professores e treinadores

A participação dos pais no relacionamento entre os filhos e seus professores, tem que ser discreta. (Foto-ONG)

Se o seu filho tem um problema com um professor ou treinador, ele terá que resolver esse problema. Mudando a forma de lidar com eles ou levando o problema até um responsável maior na escola.

Não há a menor chance de nós, como pais, questionarmos um treinador ou enviarmos um e-mail para um professor sobre algo que deve ser resolvido entre a autoridade e nosso filho.

Não se envolva demais. Ensine seu filho que se algo é muito importante para ele, ele precisa aprender a lidar sozinho com o problema ou pelo menos lhe pedir conselhos para ajudar a resolvê-los.

VIDA EUA: Como viajar dentro dos Estados Unidos

VIDA EUA: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos

 

os mais lidos480 times!

COMPARTILHAR