LeBron James desabafa: “Ser negro nos Estados Unidos é difícil”

Astro do Cleveland Cavaliers teve o portão de sua casa em Los Angeles pichada com insultos racistas dois dias antes do primeiro jogo das finais.



Rob Carr/Getty Images

Na última quarta-feira (05/31), um dia antes do primeiro jogo das finais da NBA, LeBron James teve sua propriedade pichada com insultos racistas. A casa do jogador do Cleveland Cavaliers em Los Angeles amanheceu com a palavra “nigga” escrita no portão. O termo em inglês tem cunho prejorativo historicamente utilizado contra afro-americanos.

LEIA TAMBÉM: Famosos apoiam os atletas que se ajoelham contra Trump

LEIA TAMBÉM: 3 coisas que se aprende em 5 anos nos Estados Unidos

LEIA TAMBÉM: As maiores diferenças observadas por brasileiros nos Estados Unidos

As autoridades classificaram o ocorrido como “crime de ódio” e as câmeras de segurança do local serão utilizadas para a investigação e identificação dos criminosos. Adquirida pelo craque em 2015, a casa não é utilizada como residência principal e de acordo com o site “TMZ”, LeBron James não estava presente no momento do ocorrido.



Em Oakland, a cerca de 600 km de Los Angeles, o astro do Cavaliers se encontra na preparação para o primeiro confronto final contra o Golden State Warriors. Após ser vítima de ato de racismo , LeBron não se calou diante do ocorrido.

LEIA TAMBÉM: Adidas está otimista para recuperar mercado nos EUA

“Isso mostra como o racismo sempre será parte do mundo, parte da América. E, você sabe, ódio na América, especialmente contra afro-americanos, acontece todo dia. E por mais escondido que seja, mesmo que as pessoas se escondam, digam coisas sobre você e sorriam na sua frente, a vida é assim”, disse o camisa 23 da franquia de Cleveland . “Não importa quanto dinheiro você tenha, não importa o quão famoso você é… ser negro nos Estados Unidos é difícil”, completou.

Durante sua fala, o jogador ainda lembrou um caso dos anos 50. Emmett Till, um jovem negro americano assassinado aos 14 anos de idade. “Pensei logo na mãe de Emmett. Foi um das primeiras coisas que vieram na minha cabeça, e a razão pela qual ela exigiu que o caixão ficasse aberto era sua intenção em mostrar ao mundo o que o seu filho havia sofrido por um crime de ódio e por ser negro na América”, disse LeBron James.

Por Esporte – iG


VIDA EUA: Como viajar dentro dos Estados Unidos

VIDA EUA: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos

os mais lidos201 times!

COMPARTILHAR