Juiz federal bloqueia terceiro veto migratório de Trump

Segundo o magistrado do Estado do Havaí, a medida proposta pelo presidente americano é discriminatória.



Juiz Derrick Watson do Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito do Havaí. (Foto-Reprodução)

O juiz federal Derrick Watson do estado do Havaí, bloqueou nesta terça-feira temporariamente o terceiro veto migratório imposto pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. A medida estava prevista para entrar em vigor amanhã, mas foi suspensa por ser considerada discriminatória.

LEIA TAMBÉM: Trump autoriza entrada de ajuda estrangeira em Porto Rico

LEIA TAMBÉM: Dono da Hustler oferece 10 milhões por informações contra Trump

LEIA TAMBÉM: Por que Trump não consegue substituir o Obamacare?

O novo veto, proclamado em 24 de setembro, impede de maneira indefinida a entrada da maioria dos cidadãos de Irã, Líbia, Síria, Iêmen, Somália, Chade e Coreia do Norte nos Estados Unidos, assim como alguns funcionários públicos da Venezuela e seus familiares.




O magistrado emitiu a sentença em resposta a um processo que foi apresentado pelo Estado do Havaí, por uma mesquita da capital do estado, Honolulu, por um imã e por dois moradores do arquipélago que têm familiares nos países envolvidos. Segundo o juiz, o veto decretado por Trump “claramente discrimina com base na nacionalidade”.

A polêmica medida do presidente “sofre exatamente dos mesmos problemas” que as apresentadas anteriormente, ou seja, “carece de base suficiente para sustentar que a entrada de mais de 150 milhões de cidadãos dos seis países especificados seria prejudicial para os interesses dos EUA”, explicou Watson.

O presidente Trump segura uma ordem executiva relacionada ao regulamento financeiro. (Foto-Getty)

Com a decisão, o novo veto de Trump não poderá ser implementado em relação aos seis países de maioria muçulmana, embora as restrições quanto a Venezuela e Coreia do Norte tenham sido mantidas. Ainda assim, é provável que o governo apresente um recurso contra a ordem do juiz.

Por EFE



VIDA EUA: Nos Estados Unidos, existe preconceito com brasileiros?

VIDA EUA: 3 coisas que se aprende em 5 anos nos Estados Unidos

os mais lidos466 times!

COMPARTILHAR