Flórida executa pela 1ª vez um condenado branco por crime de Racismo

Mark Asay foi morto com droga nunca antes aplicada em execuções nos EUA. Ele foi condenado em 1988 por duplo assassinato com motivação racial após matar um negro e um hispânico.




Foto não datada de Mark Asay, executado na Flórida na quinta (24) (Foto: Florida Department of Corrections via AP)

A Flórida executou, nesta quinta-feira (24), o seu primeiro preso em quase dois anos usando uma injeção letal com uma droga que nunca foi empregada nos Estados Unidos. A execução de Mark Asay aconteceu às 18 horas (19 horas em Brasília).

O detento de 53 anos foi sentenciado à morte em 1988 pelo duplo assassinato com motivação racial de um negro, Robert Lee Bookeer, e de um hispânico, Robert McDowell, em Jacksonville, Florida.

LEIA TAMBÉM: Como a cidade mais feliz dos EUA virou um campo de guerra
LEIA TAMBÉM: Enfermeiro é condenado por estuprar idosas em asilos em NC

No início deste mês, o Supremo Tribunal da Flórida negou a suspensão da execução de Asay. O homem questionou o uso pelo estado da droga etomidato, sedativo nunca antes usado em uma execução nos Estados Unidos.

Ele irá substituir outra droga polêmica, o midazolam, que foi tema de uma importante disputa legal.

Em sua discordância com a Justiça, a juíza Barbara Pariente disse que o estado tratou Asay “como uma cobaia de seu mais novo protocolo de injeção letal”.

A câmara de morte de uma prisão (AP Photo / Chuck Robinson); Inspeção: Mark Asay (Florida Department of Correction)





Uma porta-voz do Departamento Correcional da Flórida, Ashley Cook, declarou à AFP que o órgão “segue a lei e executa a sentença do tribunal”.

“Este é o dever mais solene do Departamento e o objetivo do procedimento de injeção letal é realizar um processo humano e digno”, acrescentou.

LEIA TAMBÉM: Medo da guerra faz disparar busca por Abrigos Nucleares

Janssen, divisão farmacêutica da empresa Johnson & Johnson, desenvolveu o etomidato e se opôs ao seu uso em coquetéis de injeções letais.

“A Janssen descobre e desenvolve inovações em medicamentos para salvar e melhorar vidas. Não aprovamos o uso de nossos medicamentos em injeções letais para a aplicação da pena capital”, disse o porta-voz Greg Panico ao Washington Post.

Mark Asay sorrí urante julgamento que o condenou a pena de morte na Florida. (Youtube-Reprodução)

Asay seria o primeiro homem executado por matar um negro na Flórida desde que a pena de morte foi restabelecida na Flórida em 1976, segundo o Centro de Informações sobre Pena de Morte.

Asay atirou em Booker, um afro-americano, após fazer comentários racistas, segundo os promotores.

Ele matou a outra vítima, McDowell, que aparentemente estava vestido como uma mulher, depois de fazer um acordo para remunerá-lo em troca de sexo.

Por France Presse



VIDA EUA: Nos Estados Unidos, existe preconceito com brasileiros?
VIDA EUA: 3 coisas que se aprende em 5 anos nos Estados Unidos

os mais lidos2993 times!

COMPARTILHAR