EUA proíbem cabeçadas no futebol para crianças até 10 anos de idade

Por causa do futebol americano, o risco de concussões cerebrais é um tema muito debatido nos Estados Unidos. Em virtude disso o futebol infantil virou a bola da vez.

EUA proíbem cabeçadas no futebol para crianças até 10 anos de idade Maurício Vieira/Agencia RBS



A Federação Americana de Futebol (US Soccer) decidiu proibir as crianças de menos de 10 anos de cabecear a bola durante treinamentos e partidas. Para as crianças entre 11 e 13 anos, o número de cabeçadas será limitado, tanto nos treinos como durante as partidas.

LEIA TAMBÉM: Vale a pena tentar a vida como jogador de futebol profissional nos Estados Unidos

LEIA TAMBÉM: Brasileiras ganham bolsa integral para estudar e jogar futebol nos EUA

LEIA TAMBÉM: A loucura do futebol nos EUA: comprar uma franquia já custa quase R$ 500 milhões e tem fila de espera

Estas medidas, desvendadas no início da semana e que serão aperfeiçoadas nos próximos meses, são consequência de uma queixa depositada na justiça californiana.

Um grupo de pais mostrou preocupação com o fato de clubes e federações não terem nenhuma política de sensibilização e prevenção em relação ao problema de concussões cerebrais.

– Estamos felizes por termos conseguido ter um papel no aperfeiçoamento da segurança de todas as crianças que jogam futebol neste país – explicou Steve Berman, advogado dos queixosos, que não pedem indenização ou compensação.

A US Soccer se comprometeu também a colocar em prática um programa de sensibilização para técnico e dirigentes das equipes.

O risco de concussões cerebrais é um tema muito debatido nos Estados Unidos por causa do futebol americano, mas, segundo um estudo feito em escolas pela Universidade de Denver entre 2005 e 2014, a proibição de cabeçadas reduziu drasticamente o risco de lesão no crânio.

O estudo, porém, evidenciou que a causa principal de concussões cerebrais é o choque entre jogadores.


VIDA EUA: Você sabe o que é uma Soccer Mom?

VIDA EUA: As maiores diferenças do futebol infantil nos Estados Unidos e no Brasil

os mais lidos343 times!

COMPARTILHAR