Cresce a procura por Homeschool e por mochilas à prova de bala após a tragédia de Parkland

Por RALF FURTADO.

Após o tiroteio da escola na Flórida, alguns pais já retiraram seus filhos das escolas tradicionais e outros passaram a considerar a possibilidade do Homeschool para seus filhos.

LEIA TAMBÉM: 17 estudantes mortos e 14 feridos por ex-aluno de High-School na Flórida

LEIA TAMBÉM: Aluno de 15 anos mata 2 e fere 19 em escola nos EUA

LEIA TAMBÉM: Técnico de football salva alunos se fazendo de Escudo-Humano na High-School

Logo após o trágico tiroteio em massa na High School da Flórida, o sétimo tiroteio com mortes só este ano e o terceiro mais mortal da história, logo após os massacres de Virginia Tech e Sandy Hook, o tema Homeschool lidera os debates em torno da segurança dos alunos. As famílias que recentemente aderiram ao Homeschool, dizem que essa é a principal razão pela qual eles decidiram educar seus filhos em casa.

Muitas famílias optam pelo Homeschool, principalmente após os atentados nas escolas dos EUA. (Foto-Igrre)

Independente se a criança é aluno de uma escola pública tradicional, uma escola particular, ou se eles são Homeschool, não importa, os pais sempre querem que seus filhos estejam seguros.

Uma pesquisa feita em 2017 pela South Carolina Association of Independent Homeschools, afirmava que apenas 10% dos pais apontaram a segurança como uma das razões para eles terem escolhido a Homeschool. Motivos religiosos eram 35% e a razão mais popular era a individualização do indivíduo, com 40%. Ainda o tempo e a qualidade do relacionamento em família, o controle dos pais sobre a educação, a capacidade de evitar influências sociais negativas e as necessidades especiais de algumas crianças, compõem os outros 15% dos motivos que levavam os pais a escolherem educar seus filhos nas casa.

LEIA TAMBÉM: Nos Estados Unidos, existe preconceito com brasileiros?

Logo após o atentado desta quarta-feira na Flórida, esses números mudaram radicalmente, os sites que gerenciam o sistema de educação em casa ficaram congestionados com pessoas em busca de informações. Nos últimos dois dias, dezenas de famílias retiraram seus filhos das escolas tradicionais com medo de que aconteça um próximo atentado e que esse atinja a sua família.

“Temos visto um interesse muito maior, principalmente após essa tragédia em Parkland”, disse Raquel Ruiz, diretora de uma associação de Homeschool. Ruiz que também é mãe, diz que seus três filhos fazem Homeschool. Ela disse que fez sua escolha para passar mais tempo com seus filhos. “Eu ficaria desesperada se meus filhos estivessem em uma escola onde algo assim acontecesse”, disse ela.

Oficial Rich Brand, dispara contra uma mochila de criança com seu Rynohide CNT Shield em 21 de dezembro de 2017 em Salt Lake City, Utah. (Foto-Getty-Images)

Mochilas à prova de balas

Logo após o tiroteio da High School Stoneman Douglas em Parkland, uma mãe chamada Sarah Pampillonia, notou um anúncio na internet de um produto que nunca tinha ouvido falar: uma mochila para crianças que, além de carregar livros, lápis e lanches, funcionava como escudo para balas. Demorou um momento para que a mãe de 33 anos e professora de quinta série, processar o que ela estava olhando, como tal produto poderia existir. Então ela clicou no link e considerou comprar um para seu filho de 4 anos.

“Eu imagino que eu usaria um super-herói que ele ama, como o Capitão América, para explicar para ele”, disse ela. “Eu deixaria as armas fora da conversa talvez e simplesmente dissesse que ele tinha uma mochila mágica como um escudo de super heróis, e se ele precisasse se esconder dos malvados, ele pode se esconder atrás de sua mochila.” Ela fez uma pausa. “Eu fico mal por só pensar em dizer isso”.

À medida que os vídeos de celulares foram surgindo na quarta e quinta-feira, mostrando estudantes agachados dentro de uma sala de aula, os sons dos tiros que ecoavam no fundo, pais de todo o país passaram a se perguntar o que eles poderiam fazer para proteger seus filhos. Há respostas simples e rápidas e outras de longo prazo, é claro, incluindo a votação para restringir o porte de armas, assunto que sempre dividiu a opinião americana.

Yasir Sheikh, presidente da Guard Dog Security, uma empresa com sede na Flórida que vende mochilas à prova de bala e outros itens de proteção, começou a vender as mochilas há cinco anos, logo após 20 crianças e seis adultos serem assassinados na Sandy Hook Elementary School em Newtown, Connecticut. Ele diz que as vendas são consistentes, o que não é surpreendente, considerando que mais de 400 pessoas ficaram feridas ou perderam suas vidas em tiroteios dentro de escolas desde então. Ele também diz que a empresa normalmente percebe um aumento no volume de vendas nos dias que seguem um tiroteio em massa. “Às vezes, vemos isso instantaneamente, às vezes são alguns dias depois”, explica ele.

Sheikh se recusou a compartilhar números de vendas, mas diz que as mochilas exigem pouca publicidade e “tendem a ser produtos virais que são apreciados e compartilhados e comentados um pouco”. Na quarta-feira à noite a estrela Kim Zolciak-Biermann, mãe e participante do show Real Housewives of Atlanta, publicou a foto de uma mochila Guard Dog para seus 2,7 milhões de seguidores do Instagram, dizendo que ela havia perguntado a seu marido como eles poderiam proteger seus filhos. “É com certeza bem melhor do que não ter nada”, escreveu ela. O post recebeu rapidamente mais de 30 mil likes.

VIDA EUA: 3 coisas que se aprende em 5 anos nos Estados Unidos

VIDA EUA: Os 10 maiores obstáculos para brasileiros que mudam para os Estados Unidos

COMPARTILHAR