As carreiras mais bem pagas nos EUA, segundo o LinkedIn

Por EXAME

Pesquisa revela quem recebe os maiores salários nos Estados Unidos. Profissionais de saúde dominam o topo do ranking.

Médicos e executivos de alto escalão são os donos dos maiores salários no mercado de trabalho norte-americano em 2017, segundo um recente relatório do LinkedIn.

LEIA TAMBÉM: Bolha imobiliária: dez anos da crise que parou o mundo

LEIA TAMBÉM: Projeto de lei permite que médicos receitem “casa” para sem-teto nos EUA

LEIA TAMBÉM: Receita Federal mira brasileiros com imóveis não declarados nos EUA




Algumas carreiras se destacam por terem salários mais altos do que as outras.

O estudo se baseou em dados sobre remuneração de mais de 2 milhões de usuários da rede social nos Estados Unidos, coletados em abril deste ano.

Em números absolutos, predominam os altos executivos: das 20 carreiras mais bem pagas, 12 pertencem a líderes do universo corporativo. Mas os 6 primeiros lugares do ranking são ocupados por profissionais de saúde.

O salário médio mais alto é o do cirurgião ortopédico, que recebe em média 37,5 mil dólares por mês. Já o maior bônus anual, de 100 mil dólares em média, pertence ao diretor executivo sênior e ao associado de banco de investimentos.

O salário médio de um cirurgião ortopedista nos Estados Unidos é de cerca de US$425,000 por ano ou cerca de US$204 por hora.



Além do levantamento sobre os cargos com maiores salários, o LinkedIn também investigou os holerites mais polpudos sob outros pontos de vista.

O campo de estudo que paga salários mais altos, em média, é o de ciências da computação, com média salarial geral de 7,6 mil dólares por mês. Na mesma linha, a indústria que mais paga é justamente a de software e serviços de TI, com remuneração média de 8,7 mil dólares. Glossário de TI: Veja com a SONDA 10 termos que você precisa compreender Patrocinado

As empresas com mais de 10 mil funcionários são as que pagam mais: 7,5 mil dólares. Já a cidade norte-americana em que as pessoas ganham mais é San Francisco, na Califórnia: 9,3 mil dólares.

Boa notícia para quem sonha em fazer carreira internacional no país, o mercado de trabalho norte-americano passa por uma fase de estabilidade, ao contrário do que acontece no Brasil. Lá, a taxa de desemprego é a mais baixa desde 2001 e profissionais das mais diversas indústrias têm tido um poder maior de barganha para negociar salários e posições.

Confira a seguir os profissionais mais valorizados do ponto de vista financeiro no mercado norte-americano, segundo o estudo:



VIDA EUA: Você sabe o que é uma Soccer Mom?
VIDA EUA: As maiores diferenças do futebol infantil nos Estados Unidos e no Brasil

os mais lidos33764 times!

COMPARTILHAR